A importância dos fundamentos de redes na migração do IPv4 para o IPv6

Confira nossos E-books, Cursos, Videoaulas e Artigos em Infra de Redes!

capa 3a edição jpeg blogcapa Dominando Sub-redes no IPv6 e IPv4 1a ed_bat

A importância dos fundamentos de redes na migração do IPv4 para o IPv6

1 Introdução

Este mini-artigo pretende enfatizar a importância de conhecermos os fundamentos de redes de computadores, para podermos entender melhor e mais facilmente, a mudança, que cada dia fica mais próxima, do IP versão 4 (IPv4) para o IP versão 6 (IPv6).

2 Teorização

Todos sabemos que a Internet se tornou a rede WAN predominante da atualidade. O protocolo IP é o principal protocolo que deu origem à Internet, seguido posteriormente pelo TCP, que juntos formam a base do modelo de protocolos de interconexão de computadores chamado TCP/IP.

O IPv4 se tornou o padrão do protocolo IP usado desde o início da Internet. No entanto, devido ao seu comprimento de 4 bytes, 32 bits, o número de endereços IP disponíveis foi escasseando à medida que novas aplicações foram surgindo (VoIP, computação móvel, gerenciamento de dispositivos pela Internet, etc.), ao mesmo tempo em que os hosts e as redes ligadas à Internet foram crescendo de forma exponencial.

Com isso, a comunidade técnica internacional, prevendo a escassez dos endereços IPv4, criou o novo padrão, IPv6, com um total de 128 bits de comprimento, ampliando o número de hosts e redes a serem disponibilizadas.

No entanto, o padrão dominante, o IPv4, por um longo tempo vai permanecer existindo nas redes legadas. Prevê-se que haverá uma fase de transição, onde o IPv4 e o IPv6 irão interagir entre si.

Para conhecermos o novo protocolo Ipv6, suas vantagens e desvantagens, é importante termos bem sedimentado o conhecimento do IPv4. Conceitos como cabeçalho, PDU, encapsulamento e desencapsulamento, entre outros, devem estar “dominados” pelo profissional da área de TI. Os conceitos de endereço IP, sub-redes, máscara, também não devem ser esquecidos, Da mesma forma, as camadas do modelo OSI e TCP/IP, seus protocolos e equipamentos que funcionam em cada camada devem ser conhecidos. Dessa maneira a transição técnica do IPv4 para o IPv6 vai ser dar de forma tranqüila e segura

3 Considerações finais

Para auxiliar nesta transição tecnológica temos traduzido e postado vários artigos no blog ademarfey.wordpress.com que estão disponíveis para acesso público aos interessados.

Estamos lançando também um curso a distância, estilo estudo dirigido onde os principais conceitos do modelo OSI e do TCP/IP (principalmente) podem ser estudados e onde o aluno pode medir seu desempenho, realizando questionários on-line e resolvendo estudos de caso.

O citado curso servirá de pré-requisito para o curso de configuração de roteadores e switches nível básico.

O aluno disporá de material de leitura em PDF, apresentações em Powerpoint e videoaulas sobre os assuntos abordados. Todo o material ficará disponível on-line, durante o período do curso. O acesso ao curso deve ser feito por acesso banda larga a Internet. O aluno estuda de onde e quando desejar, ficando, portanto, sob seu gerenciamento a rotina de estudo. Os tutores prestarão seu serviço de retirada de dúvidas via e–mail e fóruns (disponíveis em cada capítulo do curso).

Boa transição para o IPv6!!

Por Ademar Felipe Fey em 03/12/2010

Consulte sobre nosso curso de IPv6

Sobre ademarfey

Professor de TI aposentado. Escritor na área de Redes de Computadores e Telecomunicações. Também pesquisa a Imigração Alemã no Brasil desde 2017.
Esse post foi publicado em IPV6, Redes de Computadores e marcado , , , , . Guardar link permanente.