10 coisas que você deve saber sobre o endereçamento IPv6

Confira nossos E-books, Cursos, Videoaulas e Artigos em Infra de Redes!

capa Dominando Sub-redes no IPv6 e IPv4 1a ed_batcapa 3a edição jpeg blog

10 coisas que você deve saber sobre o endereçamento IPv6

Do original “10 things you should know about ipv6 addressing” de 22/10/2010 do autor Brien Posey

Traduzido e adaptado por Ademar Felipe Fey em 03/12/2010

Embora a adoção do IPv6 parece estar a avançando a passos de caracol, ele não está parado. Brien Posey desmistifica algumas das questões abordando muitos assuntos que os administradores ainda estão tentando descobrir.

Ao longo dos últimos anos, o IPv6 foi avançando para se tornar uma tecnologia importante. No entanto, muitos profissionais de TI ainda não sabem por onde começar quando se trata da adoção de IPv6 porque o ipv6 é tão diferente de IPv4. Neste artigo, vou compartilhar 10 dicas que ajudarão você a compreender como funciona o endereçamento do IPv6.

1: Os endereços IPv6 são números hexadecimais de 128 bits

os endereços IPv4 que nós estamos acostumados a ver são constituídos por quatro octetos numéricos que se combinam para formar um endereço de 32 bits. Os endereços IPv6 não se parecem com os endereços IPv4.  Os endereços IPv6 são de 128 bits de comprimento e são feitos de números hexadecimais.

No IPv4, cada octeto é separado por um ponto. No IPv6, os caracteres hexadecimais são separados por dois pontos. Um grupo de caracteres hexadecimal pode variar de dois a quatro caracteres.

2: Endereços de Link Local unicast são fáceis de identificar

O ipv6 reserva alguns cabeçalhos para diferentes tipos de endereços. Provavelmente o mais conhecido exemplo desta situação é que os endereços de link local unicast sempre começam com FE80. Do mesmo modo, os endereços multicast sempre começam com ff0X, onde x é um espaço reservado que representa um número de 1 a 8.

3: Os zeros à esquerda são suprimidos

Por causa de seu comprimento longo, em termos de bis, os endereços IPv6 tendem a conter uma grande quantidade de zeros. Quando uma seção de um endereço começa com um ou mais zeros, os zeros são nada mais do que espaços reservados. assim os zeros à esquerda podem ser suprimidos. Para ter uma melhor idéia do que quero dizer, olhe para este endereço:

fe80:cd00:0000:0cde:1257:0000:211e:729c

Se isso fosse um endereço real, qualquer zero à esquerda dentro de uma seção pode ser suprimido. O resultado seria parecido com este:

fe80:cd00:0:cde:1257:0:211e:729c

Como você pode ver, suprimindo os zeros à esquerda se dá um grande passo para encurtar o endereço.

4: Zeros em sequência  às vezes podem ser suprimidos

Endereços IPv6 reais tendem a conter seções longas de nada além de zeros, que também podem ser suprimidos. Por exemplo, considere o endereço abaixo:

fe80:cd00:0000:0000:0000:0000:211e:729c

Neste endereço, há quatro seções seqüenciais separadas por zeros. Ao invés de simplesmente suprimir os zeros à esquerda, você pode se livrar de todos os zeros seqüenciais e substituí-los com dois pontos duplos. Os dois pontos duplos dizem ao sistema operacional que tudo entre eles é zero. O endereço indicado acima, então se torna:

fe80:cd00::211e:729c

Você deve se lembrar de duas coisas sobre a supressão de zeros em sequência. Em primeiro lugar, você pode suprimir uma seção somente se ela contém apenas zeros. Por exemplo, você vai notar que a segunda parte do endereço acima ainda contém alguns zeros à direita. Os zeros foram mantidos porque existem caracteres que não são zero nessa seção. Segundo, você pode usar a notação de dois pontos duplos apenas uma vez em um determinado endereço.

5: Os endereços de Loopback nem sequer são parecidos com endereços

No IPv4, um endereço conhecido e designado como um endereço de loopback, aponta  para a máquina local. O endereço de loopback para qualquer dispositivo habilitado para IPv4 é o 127.0.0.1.

Como o ipv4, há também um endereço de loopback designado para o IPv6:

0000:0000:0000:0000:0000:0000:0000:0001

Depois de todos os zeros forem suprimidos, no entanto, o endereço IPv6 loopback nem sequer é parecido com um endereço válido. O endereço de loopback é geralmente expresso como ::1

6: Você não precisa de uma máscara tradicional

No IPv4, cada endereço IP vem com uma máscara de sub-rede correspondente. O IPv6 também utiliza sub-redes, mas o ID de sub-rede é construída no endereço.

Em um endereço IPv6, os primeiros 48 caracteres são o prefixo de rede. Os próximos 16 caracteres (que são todos os zeros) são os subnet id. e os últimos 64 caracteres são o identificador de interface. Embora não haja nenhuma máscara de sub-rede, você tem a opção de especificar um comprimento de prefixo de sub-rede.

7: O DNS é ainda uma tecnologia válida

No IPv4, os registros do host (host (a) records) são usados para mapear um endereço IP para um nome de host. O DNS é ainda usado no IPv6, mas os registros de host não são usados pelos endereços IPv6. Em vez disso, o IPv6 usa o recurso de registros AAAA, que são por vezes referidos como registro quad (quatros “A”). O domínio ip6.arpa é utilizado para resolução de DNS reverso (reverse hostname).

8: O IPv6 pode construir um túnel de seu caminho através de redes IPv4

Uma das coisas que fez com que a adoção de IPv6 leve tanto tempo é que o IPv6 não é geralmente compatível com redes IPv4. Como resultado, uma série de tecnologias de transição do uso de túneis para facilitar a compatibilidade de interconexão de  redes.Duas tecnologias são a teredo e 6to4. Embora essas tecnologias funcionam de maneiras diferentes, a idéia básica é encapsular pacotes IPv6 dentro de pacotes IPv4. Dessa forma, o tráfego IPv6 pode fluir através de uma rede IPv4. Lembre-se, contudo, que pontos finais do túnel são necessárias em ambas as extremidades para encapsular e desencapsular os pacotes IPv6.

9: Você já deve estar usando IPv6

Começando com o Windows Vista, a Microsoft começou a instalar e ativar o IPv6 por padrão. Porque a janela de implementação do IPv6 é auto-configurável, os computadores podem estar transmitindo o tráfego IPv6 sem sequer conhecê-lo (NT.: isso não é aplicável ainda em muitas redes e computadores). Claro, isso não significa necessariamente que você pode abandonar o IPv4. Nem todos os switches e roteadores suporte IPv6, assim como algumas aplicações contêm referências codificado para endereços IPv4.

10: O Windows não suporta totalmente o IPv6

É meio irônico, mas tão real como a Microsoft tem promovido a adoção do IPv6, o Windows não suportam totalmente o IPv6 em todas as maneiras que você poderia esperar. Por exemplo, no Windows, é possível incluir um endereço IP dentro de uma convenção de nomenclatura universal (\ \ 127.0.0.1\c$, por exemplo). No entanto, você não pode fazer isso com os endereços IPv6, porque quando o Windows vê os dois pontos, ele assume que você está fazendo referência a uma letra de unidade de drive.

Para contornar esse problema, a Microsoft estabeleceu um domínio especial para a tradução de endereços IPv6. Se você deseja incluir um endereço IPv6 dentro de uma convenção de nomenclatura universal, você deve substituir os dois pontos por travessões e anexar ipv6-literal.net ao final do endereço  (NT: no artigo original consta ipv6.literal.net) – por exemplo, fe80-ab00-200d-617b.ipv6-literal . net.


Disponível em:

http://blogs.techrepublic.com.com/10things/?p=1893&tag=nl.e101

Acesso em: 26/10/2010

Traduzido e adaptado por Ademar Felipe Fey em 03/12/2010

Sobre ademarfey

Professor de TI aposentado. Escritor na área de Redes de Computadores e Telecomunicações. Também pesquisa a Imigração Alemã no Brasil desde 2017.
Esse post foi publicado em IPV6. Bookmark o link permanente.

4 respostas para 10 coisas que você deve saber sobre o endereçamento IPv6

  1. Max disse:

    Parabens pela tradução. So uma alteração. o dominio correto é ipv6-literal.net e não ipv6.literal.net

    • ademarfey disse:

      Olá Max,

      muito bem observado. Confere com a documentação da Microsoft.

      A artigo original está com este pequeno erro.

      Vou alterar e fazer constar uma observação.

      Grato!!

      Ademar

  2. Mafalda disse:

    Olá boa tarde.

    Gostaria de saber uma coisa se fosse possivel… ja estive a procurar na internet e nao encontro uma definiçao fixa de um bom entendimento.
    O que são “quad registros”? esta palavra encontra-se na razão nr.7, na 4ª linha.
    Podia me dar uma boa explicaçao? 🙂

    P.s. O artigo está mesmo muito bom…tá excelente. 🙂

    Cumprimentos

    • ademarfey disse:

      Olá Mafalda,

      na realidade o arquivo é traduzido. Saiu uma série de artigos muito bons sobre o IPv6 e meu trabalho foi selecioná-los e traduzir os que eu achei mais interessante e de viável tradução.

      Bem, sobre o registro QUAD. Ele é um daqueles registros utilizados na programação do DNS do IPv6, mais ou menos como ocorre no DNS do IPv4, denominado também de registro AAAA (quatros A ou quad A em inglês).

      Espero ter ajudado de alguma forma.

      Em breve teremos novidades sobre o IPv6.

      Abc,

      Ademar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s