Uma Retrospectiva da TI 25 anos atrás. Parte 2 (O cenário da computação no final dos anos 1980)

O cenário da computação no final dos anos 1980

Confira nossos E-books, Cursos, Videoaulas e Artigos em Infra de Redes!

Do original A Retrospective: Twenty-Five Years Ago. Artigo de Geoff Huston da APNIC.The Internet Protocol Journal, Volume 15, No. 1, March 2012.

Traduzido por Raul Ricardo Gauer. Editado por Ademar Felipe Fey.

O ambiente de computação da década de 1980 agora parece ser um ambiente alienígena. Obviamente, não havia computadores de bolso naquela época. Na verdade nem havia telefone móvel de bolso. (Lembro-me de uma visita de um vendedor no momento em que ostentava o mais recente em telefonia móvel, um rádio do tamanho de uma mala!)

Em 1987, o mundo da TI ainda estava fixado no computador mainframe. A IBM tinha a posição dominante neste mercado, a Digital Equipment Corporation (DEC) competia com a IBM com seus sistemas VAX / VMS. Estes sistemas foram destinados a tomar o lugar das arquiteturas anteriores DEC-10, bem como oferecer um caminho de atualização para a linha de enorme sucesso do minicomputador PDP-11. A arquitetura típica do ambiente de computação ainda era altamente centralizada, com um grande sistema multiusuário em seu núcleo, e uma rede de atendimento ou dispositivos periféricos. Estes dispositivos periféricos eram tradicionalmente terminais de vídeo, que eram um simples teclado ASCII e uma tela, onde a interação com o mainframe era através de linha serial simples baseada em protocolos de caracteres.

Embora não tenham sido universalmente aceitos naquele tempo, o período final da década de 1980 marcou o fim do ambiente do mainframe personalizado, onde os sistemas informáticos de grande escala foram concebidos como um conjunto de subsistemas de componentes, colocados em um rack de algum tipo e interligados através de um barramento ou blackplane.

Enquanto o ambiente mainframe foi inexoravelmente diminuindo, na outra extremidade do mercado outras coisas foram movendo-se muito rapidamente. O processador Z80 de meados dos anos 1970 tinha sido superado pelo chip Intel 8080, que evoluiu rapidamente para 16 bits, em seguida com versões de 32 bits. Por volta de 1987 o supra-sumo era o chip Intel 80386, que poderia operar com uma velocidade de relógio até 33 MHz. O barramento era de 32 bits, e o chip suportava endereços de 32 bits. Este chip continha em torno de 275.000 transistores, e foi talvez o chip que transformou o computador pessoal no periférico do ambiente de TI. A arquitetura em evolução da década de 1980 foi mudando a partir de um centro de processamento central e um conjunto de dispositivos periféricos básicos para um cluster de computadores pessoais.

O ambiente de computador pessoal habilitou o poder de computação como um bem abundante e com o computador desktop vieram numerosos sistemas de interfaces que permitiam aos utilizadores tratarem suas telas de computador de uma maneira que era análoga a um desktop. As informações foram organizadas de maneira que tiveram uma contrapartida visual, e as aplicações interagiam com os usuários de maneira que eram fortemente visuais. A abordagem pioneira pela estação de trabalho Xerox Star, no final de 1970, trouxe para o mercado consumidor, por meio do Apple Lisa e Macintosh, sistemas do emergente ambiente de trabalho “mainstream” com o Windows 2.0 no final de 1980.

O estado da arte da portabilidade ainda estava na categoria de “mala” em vez de verdadeiramente portátil, e o melhor exemplo do momento foi o malfadado Macintosh Portátil, que como o seu homólogo telefone portátil tinha o tamanho de uma mala e era incrivelmente pesado. Curiosamente, enquanto a imprensa estava em êxtase, quando foi lançado em 1989, foi um completo fracasso no mercado de consumo.

A idade do laptop ainda estava por vir.

Um grande subproduto nesta mudança do ambiente de computação para uma arquitetura distribuída foi uma mudança maior na atenção à rede e, ao mesmo tempo em que houve uma mudança em larga escala na indústria de mainframes para computadores pessoais, houve também inúmeras e grandes mudanças no ambiente de rede.

Continuação no mês que vem (parte 3): O ambiente de rede do final dos anos 1980

 

Sobre ademarfey

Professor de TI aposentado. Escritor na área de Redes de Computadores e Telecomunicações. Também pesquisa a Imigração Alemã no Brasil desde 2017.
Esse post foi publicado em Redes de Computadores e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s