A analogia entre o IPv6 e o videocassete (VCR)

Confira nossos E-books e Cursos on-line completos em infra de Redes!

capa Dominando o IPv6 1a ed_batcapa Dominando Sub-redes no IPv6 e IPv4 1a ed_bat

A analogia entre o IPv6 e o videocassete (VCR)

Do original IPv6 and the VCR. Posted on August 5, 2014 by Tom Hollingsworth.

Traduzido e adaptado por Ademar Felipe Fey em 29/09/2014.

O IPv6 não é um modismo. Não é uma tendência passageira que vai embora amanhã. Quando Vint Cerf esteve em um programa não-técnico televisionado nacionalmente (USA) falando sobre o IPv6 é porque isto é real tanto quanto que ele veio para ficar. Adicione a questão do esgotamento definitivo do espaço de endereços IPv4 dos RIRs e você vai ver que o IPv6 é uma necessidade. No entanto, ainda há pessoas em TI que negam a necessidade crescente de consciência do IPv6. Essas mesmas pessoas que dizem que não estão prontas ou que custa muito caro. Isso me lembra de um argumento diferente.

IPvcr4
Minha casa está cheia de tecnologia. Especialmente quando se trata de assistir filmes. Tenho DVRs para assistir televisão, um Roku para outros serviços e aplicativos no meu tablet para que as crianças possam assistir a mídia sob demanda. Eu tenho um leitor de DVD em quase todos os quartos da casa. Eu também tenho um videocassete. Ele serve a um propósito – para assistir a dois filmes que estão disponíveis apenas em uma fita de vídeo. Esses dois filmes são o meu casamento e o nascimento do meu filho mais velho.

No início, o VCR permaneceu ligado à nossa televisão o tempo todo. Tivemos alguns filmes que possuíamos em VHS que não possuem DVD ou cópias digitais. Conforme o tempo passava, os filmes VHS foram substituídos por meios digitais. Logo, o VCR serviu apenas para permitir a visualização da mídia pessoal acima mencionada. Não conseguimos isso em um DVD a partir de qualquer lugar. Mas o videocassete ficou conectado para aquelas ocasiões quando os filmes precisavam ser assistidos. Em breve, ele era muito de um aborrecimento para voltar a ligar o VCR, mesmo para estes filmes para a família. Eventualmente, nós descobrimos como ligar o VCR para gravar o conteúdo em um formato digital que está disponível a partir de fontes não-analógicas.

Como isso se compara ao IPv6? A maioria das pessoas assume que a transição do IPv4 para o IPv6 será repentina e rápida. Que eles vão acordar um dia e descobrir que todos os seus servidores e desktops estão em execução em endereços IPv6 globais e o IPv4 será uma memória distante. Na verdade, nada disso pode estar mais longe da realidade. O IPv4 e o IPv6 podem coexistir no mesmo sistema. O IPv6 pode ser implementado juntamente com o IPv4 sem interromper a conectividade. Como no exemplo acima, você pode assistir DVDs e fitas VHS na mesma TV, sem interrupção.

Como a disponibilidade dos endereços IPv4 a é restrita, os engenheiros poderão encontrar-se lutando para substituir os sistemas existentes e implantar novos sistemas sem acesso a endereços IPv4. É quando a verdadeira transição irá começar. Como estes novos sistemas serão colocados online, o IPv6 será o único espaço de endereço disponível. Estes sistemas serão conectados com o IPv6 primeiro e provisões serão feitas para que eles se conectem a outros sistemas via IPv4. Eventualmente, o IPv4 só existirá para os sistemas legados que não podurem ser atualizados ou migrados. Assim como o caso do VCR acima citado, o IPv4 só será necessário para um punhado de operações.

(Talvez) Nós nunca teremos que chegar a um ponto em que o IPv4 vai ser completamente eliminado. Hosts somente IPv4 ainda serão capazes de se conectar uns aos outros, desde que a tabela de roteamento IPv4 global esteja disponível. Ela pode ser reduzida em tamanho à medida que o IPv6 ganhar maior adoção, mas nunca verdadeiramente desaparecer. Em vez disso, O IPv6 vai ser como o protocolo SNA da IBM. Relevante para alguns hosts isolados, na melhor das hipóteses. O mundo vai seguir em frente e o IPv6 vai ser a primeira escolha para a conectividade.
Palavras finais do Tom

Devo admitir que essa idéia foi promovida a partir de uma conversa com Ed Horley (EHorley). O evangelismo que ele está fazendo tanto com o CAv6TF e o RMv6TF é incomparável. Eles estão fazendo o seu melhor para obter a adoção do IPv6. Eu acho que é importante para as pessoas em tecnologia saber que o IPv6 não está deslocando o IPv4. E que o IPv6 permite estender a funcionalidade da rede. É a concessão de um novo sopro de vida para os sistemas desesperadamente precisando de espaço de endereço. E isso permite a sistemas IPv4 apenas sobreviverem um pouco mais. Você não tem que ver as mesmas velhas fitas VHS todos os dias. Mas você não tem que deixar o IPvcr4 ligado o tempo todo também.

Disponível em: http://networkingnerd.net/2014/08/05/ipv6-and-the-vcr/
Acesso em: 28/09/2014

Traduzido e adaptado por Ademar Felipe Fey em 29/09/2014.

Confira nossos E-books e Cursos on-line completos em infra de Redes!

capa Dominando o IPv6 1a ed_batcapa Dominando Sub-redes no IPv6 e IPv4 1a ed_bat

Sobre ademarfey

Professor de TI aposentado. Escritor na área de Redes de Computadores e Telecomunicações. Também pesquisa a Imigração Alemã no Brasil desde 2017.
Esse post foi publicado em IPV6, Redes de Computadores e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s