O modelo OSI explicado: Como entender o modelo de rede de 7 camadas

O modelo OSI explicado: Como entender o modelo de rede de 7 camadas

Um tutorial sobre o modelo de referência de redes de interconexão de sistemas abertos e dicas sobre como memorizar as sete camadas

Do original The OSI model explained: How to understand (and remember) the 7 layer network model. Por Keith Shaw. Multimedia Content Editor / Cool Tools, Network World. 4 de dezembro de 2017, 11:09 PT.

Quando a maioria das pessoas não técnicas ouve o termo “sete camadas”, eles pensam nas camadas de um prato popular americano “Super Bowl Bean” ou pensam erroneamente sobre as sete camadas do inferno, cortesia do Inferno de Dante (existem nove). Para os profissionais de TI, as sete camadas se referem ao modelo de Interconexão de Sistemas Abertos (OSI), uma estrutura conceitual que descreve as funções de um sistema de rede ou de telecomunicações.

O modelo usa camadas para ajudar a fornecer uma descrição visual do que está acontecendo com um sistema de rede particular. Isso pode ajudar os gerenciadores de rede a reduzir problemas (É um problema físico ou algo com o aplicativo?), bem como os programadores de computador (ao desenvolver um aplicativo, para quais outras camadas ele precisa trabalhar?). Os vendedores de tecnologia que vendem novos produtos geralmente se referem ao modelo OSI para ajudar os clientes a entender com qual camada seus produtos funcionam ou se eles funcionam “através da pilha”.

Concebido na década de 1970, quando a rede de computadores estava decolando, dois modelos separados foram fundidos em 1983 e publicados em 1984 para criar o modelo OSI que a maioria das pessoas conhece hoje. A maioria das descrições do modelo OSI vai de cima para baixo, com os números que vão da camada 7 até a camada 1. As camadas e o que elas representam são as seguintes:

Camada 7 – Aplicação

Para aprimorar nossa analogia de mergulho do feijão no “Super Bowl”, a Camada de Aplicação (Application Layer) é a que está no topo – é a que a maioria dos usuários vê. No modelo OSI, esta é a camada que é “mais próxima do usuário final”. Os aplicativos que funcionam na Layer 7 são aqueles com os quais os usuários interagem diretamente. Um navegador da Web (Google Chrome, Firefox, Safari, etc.) ou outro aplicativo – Skype, Outlook, Office – são exemplos de aplicativos de camada 7.

Camada 6 – Apresentação

A camada de apresentação representa a área que é independente da representação de dados na camada do aplicativo – em geral, representa a preparação ou tradução do formato do aplicativo para o formato da rede ou da formatação da rede para o formato da aplicação. Em outras palavras, esta camada “apresenta” dados para o aplicativo ou para a rede. Um bom exemplo disso é a criptografia e descriptografia de dados para a transmissão segura – isso acontece na camada 6.

Camada 5 – Sessão

Quando dois dispositivos, computadores ou servidores precisam “falar” um com o outro, é necessário criar uma sessão e isso é feito na camada de sessão. As funções nesta camada envolvem configuração, coordenação (por quanto tempo um sistema deve aguardar uma resposta, por exemplo) e o término da sessão entre os aplicativos em cada ponta final da comunicação.

Camada 4 – Transporte

A camada de transporte trata da coordenação da transferência de dados entre sistemas finais e hosts. Quais os dados a serem enviados, a que taxa, para onde eles vão, etc. O exemplo mais conhecido da Camada de Transporte é o Protocolo de Controle de Transmissão (TCP), que é construído em cima do Protocolo de Internet (IP), comumente conhecido como TCP/IP. Os números de porta TCP e UDP funcionam na Layer 4, enquanto os endereços IP funcionam na Layer 3, Camada de Rede (Network Layer).

Camada 3 – Rede

Aqui na Camada de Rede (Network Layer) é onde você encontrará a maioria das funcionalidades do roteador que a maioria dos profissionais de rede se preocupa e amam. No seu sentido mais básico, esta camada é responsável pelo encaminhamento de pacotes, incluindo o roteamento através de roteadores diferentes. Você pode saber que seu computador de Boston quer se conectar a um servidor na Califórnia, mas existem milhões de caminhos diferentes a serem realizados. Os roteadores nesta camada ajudam a fazer isso de forma eficiente.

Camada 2 – Link de dados (Enlace)

A camada de ligação de dados fornece transferência de dados de nó para nó (entre dois nós diretamente conectados) e também lida com a correção de erro da camada física. Duas subcamadas existem aqui – a camada de controle de acesso de mídia (MAC) e a camada de Controle de Link Lógico (LLC). No mundo da rede, a maioria dos switches opera na camada 2.

Camada 1 – Física

Na parte inferior do nosso “mergulho de feijão” no OSI temos a camada física, que apresenta a representação elétrica e física do sistema. Isso pode incluir tudo, desde o tipo de cabo, o link de frequência de rádio (como em sistemas sem fio 802.11), bem como o layout de pinos, tensões e outros requisitos físicos. Quando ocorre um problema de rede, muitos profissionais de rede começam analisando a camada física para verificar se todos os cabos estão conectados corretamente e se a tomada não foi puxada do roteador, switch ou computador, por exemplo.

Por que você precisa conhecer as 7 camadas OSI

A maioria das pessoas no espaço de TI provavelmente precisará saber sobre as diferentes camadas quando estiver indo para suas certificações, assim como um aluno cívico precisa aprender sobre os três ramos do governo dos EUA. Além disso, você ouve sobre o modelo OSI quando os fornecedores estão fazendo argumentações sobre as camadas com as quais seus produtos funcionam.

Em um post da Quora perguntando sobre o propósito do modelo OSI, Vikram Kumar respondeu dessa maneira:

“O objetivo do modelo de referência OSI é orientar fornecedores e desenvolvedores para que os produtos de comunicação digital e os programas de software que eles criem interoperarão e facilitarão comparações claras entre as ferramentas de comunicação”.

Embora algumas pessoas possam argumentar que o modelo OSI é obsoleto (devido à sua natureza teórica e menos importante do que as 4 ou 5 camadas do modelo TCP/IP), Kumar diz que “é difícil ler sobre tecnologia de rede hoje sem ver referências à Modelo OSI e suas camadas, porque a estrutura do modelo ajuda a enquadrar discussões de protocolos e contrastar várias tecnologias”.

Se você pode entender o modelo OSI e suas camadas, você também pode entender quais protocolos e dispositivos podem interoperar uns com os outros quando as novas tecnologias forem desenvolvidas e explicadas.

Keith Shaw era um editor do Network World e o escritor da coluna Cool Tools. Ele é agora escritor e editor freelancer de Worcester, Mass.

Keith Shaw escreve o blog Cool Tools para Network World e ajuda a produzir vídeo corporativo para Network World, CSO, CIO.com e Computerworld. Ele pode ser contatado em kshaw@nww.com

Traduzido e adaptado por Ademar Felipe Fey em 21/12/2017

Disponível em: https://www.networkworld.com/article/3239677/lan-wan/the-osi-model-explained-how-to-understand-and-remember-the-7-layer-network-model.html

Acesso em: 21/12/2017

Anúncios
Esse post foi publicado em Redes de Computadores, Telecomunicações e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s